Pedaços de mim #54

Último ano da faculdade:

A Tim andava de metro com três gajos ressabiados.  As conversas variavam, mas basicamente ficavam pelo sexo. Sexo hardcore. Metade das vezes eu já não abria a boca, simplesmente ria-me que nem uma perdida. Numa das conversas mais porcas de sempre, uma senhora veio ter comigo e perguntou se precisava de ajuda, pois estava disposta a chamar a polícia. A minha resposta foi simples - São colegas da faculdade, só têm garganta.
Querem um exemplo das nossas conversas? 



F' - Oh Tim... até te deixo pôr Nutella.
Tim - Não obrigada, quer dizer até te agradeço pois nunca mais vou comer Nutella à tua pala.
J' - Eu deixo-te por chantilly e tudo.
Tim - Não!
I' - Deixa-me ser o teu Teddy Bear. 
Tim- Vou deixar de falar com vocês.
F' J' I' - AHAHAHAH 

15 comentários:

FFM disse...

Oh meu deus! Esta não conhecia. ;P

Marisa Maria disse...

Isso era eu com uns colegas do secundário. Que saudades

MAG disse...

Conversas bem fortes mesmo... LOL

esperto que nem um alho disse...

Acho bem que deixes de falar com eles. É feio falar com a boca cheia. eheheheh

Tânia Sequinho disse...

lol Ok, não. Acho que os tinha deixado a falar sozinhos muitas vezes. xD

Daniela da Costa Silva disse...

Como te percebo ahah

Nádia disse...

Não tenho perfil psicológico para essa conversas com gajos :P

Patrícia disse...

Ahahah adorei a senhora a querer ajudar-te!
Não me posso queixar, costumo entrar nesse tipo de conversas e ser tão má como os rapazes...

C. disse...

credo XD ao ponto de ir chamar a policia LOL

Jessy Silva disse...

Que rir ahaha :))

FME disse...

Ahaahahahah adoro quando as pessoas comuns reagem a conversas jabardas ahah

Mafalda Alves disse...

O que me ri agora x'D

A Polegarzinha disse...

Os que mais falam, são os que menos fazem... não será?

Nina disse...

ahah isso lembra-me alguns colegas meus de secundário xD

Maria do Mundo disse...

Olha, eu tenho 42 anos e já no meu tempo tínhamos conversas dessas nos transportes públicos, quando saíamos da faculdade. Imagina o que era o escândalo na altura.