A Minha Vida é um Filme - Na Terra da Rainha de Paula Pimenta

Classificação: 2 estrelas

Colecção: A Minha Vida é um Filme
Nº na Colecção: 2
Data 1ª Edição: 15/07/2014
Nº de Edição: 4ª
ISBN: 978-972-23-5329-8
Nº de Páginas: 328
Dimensões: 136x210mm



A Minha Vida é um Filme - Na Terra da Rainha de Paula Pimenta 
Fani partiu para Londres de coração cheio mas ao chegar apercebe-se que ficará um ano sem ver o Leo e os seus amigos. Longe de casa, Fani toma consciência das diferenças culturais e faz novas amizades. Será capaz de viver sem os seus amigos, ou irá aproveitar toda a experiência sem remorsos? 



Conhecem aquela sensação "não continues a saga, vais-te arrepender"? Foi isso mesmo que me aconteceu. Numa ida à biblioteca, vi lá a continuação da saga da Paula Pimenta e trouxe para casa. Custou-me um pouco retomar a história mas tinha uma certa esperança que o sentimento de arrependimento mudasse. Tal não aconteceu. 
A Fani não mudou e ainda conseguiu ser mais infantil. Este tipo de livro é mesmo para os adolescentes, porque depois... Depois custa a ler e só nos apetece agarrar no livro e dar com ele à personagem principal. 

Comer, Orar, Amar de Elizabeth Gilbert

Classificação: 3 estrelas

Comer, Orar, Amar
Autora: Elizabeth Gilbert
ISBN:9789722515030
Edição/reimpressão:12-2006
Editor:Bertrand Editora
Dimensões:150 x 230 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:376

Comer, Orar e Amar de Elizabeth Gilbert
Elizabeth Gilbert não está satisfeita com a sua vida. Apesar das aparências, ela sonha com novas aventuras e estas não incluem nem o marido, nem filhos e tão pouco o seu aparatmento de sonho em New York. 
Sem arrependimentos, Elizabeth faz as malas e parte sozinha para um ano de descobertas. Ela quer sentir o prazer da vida, descobrir a sua devoção e alcançar o prazer espiritual.


Para quem diz ser um livro revelador, para mim não passou de uma estratégia de Marketing. É verdade que chegamos a um ponto da nossa vida em que nos perguntamos "É isto que quero?" ou "O que posso fazer para mudar?". O livro está cheio de extremismos que a meu ver são desnecessários.

A história está bem contada e elogio a coragem a Elizabeth, pois foi capaz de deixar tudo à busca da sua felicidade. Acontece que a autora é uma pessoa com várias opiniões, o que me leva a crer que a mesma nunca está satisfeita com a sua vida. Li vários artigos sobre a autora e fiquei com esta impressão. Não a quero chamar de bipolar mas, é uma senhora que quer tudo e não quer nada. 

Como é óbvio, todas nós sonhamos em encontrar a nossa paz interior e o nosso propósito na vida. Esquecemo-nos que até lá levamos com encontrões na vida. A Elizabeth ao escrever o livro parece ter tudo certinho, onde tudo acontece à hora certa e no lugar certo. 

Não fiquei fã.

Não acredito que ela se foi


Eram 9h15. 
Olhei para ela e sorri. 
Estava bem-disposta pois tinha acordado ao som da chuva.
Fui-me vestir e preparar mas quando voltei a olhar para ela, ela não reagiu. Assustei-me. Não queria acreditar. Fiz de tudo o que estava ao meu alcance mas ela já tinha partido. 
Liguei à minha mãe a informar que a torradeira pifou de vez... 

Logo hoje que me apetecia torradas! 

Pedaços da Tim - 2017

Quando comecei a escrever este texto tinha a percepção que o meu ano tinha sido uma bosta, mas ao folhear o meu BJ deparei-me com um cenário totalmente diferente. Criei o Bullet Journal como um auxiliar de memória que depressa percebi ter sido a melhor cena de sempre. Em 2018 volto a usar o mesmo sistema e a graças ao BJ tenho uma nova percepção do meu ano de 2017.


Tomei “a” decisão de revelar a minha identidade. Criei o canal no Youtube, que para mim foi um desafio enorme. Sou tímida e quem me conhece sabe que não sou destas coisas. Adorei os vossos comentários e graças ao canal ganhei novas amizades. Conheci a Sofia Costa Lima e ainda escrevemos alguns posts

Foi o ano que escrevi mais e melhor, tudo graças ao projecto Peachy. Apesar de o projecto estar em Stand By, acredito que este vai voltar em 2018. A Diana foi um enorme apoio e ajudou-me a crescer como “jornalista”. Sempre me incentivou e quando tinha que me dar nas orelhas, ela também dava.

Tive a oportunidade de trabalhar como lojista, e percebi que a minha paciência não era assim tão infinita.


A nível literário, não cumpri todos os meus objectivos mas algumas leituras foram das mais pesadas e complexas. O menino de Cabul foi a leitura que não estava nos meus planos mas que se revelou ser a leitura do ano. Não li 50 livros mas os que li encheram-me de sentimentos. Agarrei-me ao Projecto #VamosLerHp que me mostrou o quanto maravilhoso é o mundo de Harry Potter. Comprei a Saga do Senhor dos Anéis a um preço do caraças, da qual afirmo ter sido a minha compra do ano. Fui à feira do livro e ainda fui ao lançamento de um livro.


Vou ter que falar do ginásio, não é verdade? Foi um ano para esquecer. Começámos muito bem com muita pica. Festejámos os 10 anosrecebemos uma nova modalidade que continuo a dizer “Deus não criou o cu para isto”. Tive de parar um mês graças a uma tendinite e foi o pior que me poderia ter acontecido. Voltei a ganhar peso mas não desisti.


Para o pessoal mais cusco e que gosta de saber cenas random, vou então falar do meu ano a nível pessoal. Foi o ano mais libertador.

Ganhei coragem e fiz uma tatuagem. Fui ver a selecção. Perdemo-nos em Lisboa. Fui ao Xmas in the Night. Chorei ao relembrar o GLAprendi a cozinhar, mas ainda não sei estrelar ovos. Fui a um comício e conheci o Jerónimo de Sousa. O puto fez a barba pela 1ª vez e chorei baba e ranho. Fui ao Enterro do Carnaval pela 1ª vez. Perdi a cabeça na Feira do Livro. Tive o Tony Carreira à porta de casa e a sorte dele foi eu não estar em casa. Conheci o Alex Baterista. Vi a Bela e o Monstro e chorei. Vi o Star Wars The Last Jedi e só me apetecia chorar. Vi a minha mãe no Fama Show. Festejámos os seus 50 anos à grande. Vi os Trovante e a Ana Moura. Encontrei uma raspadinha com dinheiro na casa de banho. Vendi um peluche de 300€. Participei novamente no Peddy Papper. Fui às Marchas Populares. Andei na Roda Gigante da Wonderland. Fizemos obras em casa e vamos continuar. Criei o Canal. Vi os gémeos. Conheci o Simão. Conheci a Sofia. Voltei ao Liceu. Despedi-me da Nª Sra do Cabo (volta daqui a 26 anos). Senti o peso da idade. Fui à tomada de pose. Não festejei os meus anos. Tive 5 horas nas urgências. Fui a um estudo de mercado. E para acabar em grande, é bom relembrar que Portugal venceu a Eurovisão – Chupem haters! 

P.s:. A Revolução de Outubro fez 100 anos (esta é só para o puto)

Resoluções REALISTAS que consegues concretizar


Com a correria do dia-a-dia nem damos conta que estamos constantemente nas redes sociais, há vida para além do online. - Fica Offline – Já paraste para ver o que se passa à tua volta? Liberta a tua mente e limpa os pensamentos negativos. Não falo só do mundo online, falo do teu dia-a-dia. Há tanta coisa que deixamos de presenciar pois a nossa vista está agarrada ao ecrã.


Lê 10/ou mais páginas por dia – Todas têm aquele desejo de ler mais mas nem sempre temos paciência. Se estamos na cama é mais provável que vermos um episódio de uma série ou de vermos aqueles reality shows. Ler não faz mal e há vários sítios em que o podes fazer – enquanto esperas pelos transportes, enquanto estás nas filas – Não falo só de livros mas - Ler o jornal todos os dias ou ver um telejornal completo – Não te tornes numa daquelas pessoas que não sabe o que se passa no seu país ou no mundo. Ver as notícias ajuda a fundamentar a nossa opinião. O que vês hoje, amanhã é história.

Se não és dada à literatura - Vê uma série nova - Uma resolução simples que não te vai ocupar muito. Se ainda não vês uma série da qual todo o escritório fala, talvez esteja na hora. 



Limpar, doar, deitar fora - Se conhecem alguma instituição porque não doar? Tenho o armário cheio de roupa que já não uso aos anos, tenho a prateleira de livros que nada me dizem e por último tenho objectos que estão espalhados pela casa que, bem se alguém souber de alguma quermesse, envie e-mail. Ah! Sabes aquelas cuequinhas que estão no fundo da gaveta? Sabes pois. Deita-as fora, está bem?  Limpar cartões de memória, pen's, discos rígidos e outros gadgets - Criar uma playlist bem mexida para tornar esta tarefa aborrecida em algo mais apelativo. De certeza que vais rever certas fotografias deprimentes e ainda te vais rir com isso.

Fazer um check-up médico e dentário - No que diz respeito a dentistas sou medricas, mas não o sou a nível de médicos. Este ano preciso obrigatoriamente de ir ao médico e ir ao dentista. Mas tu também o deves fazer, lá por te sentires bem não significa que o teu corpo esteja livre de doenças. Mais vale prevenir do que ser tarde de mais, ok? A nossa saúde deve estar sempre em primeiro lugar.


Um despertador para deitar, sim leste bem - Deita-te a horas decentes - Já dizia António Variações, o corpo é que paga. Se te deitas tarde o teu cérebro não descansa o suficiente e é pior se no dia a seguir tens de acordar cedo. O teu corpo precisa de repouso. Deixa os gadgets fora do quarto, eles só prejudicam o teu sono.

Já deves saber que a água é essencial para a vida, já nem te digo para andares com uma garrafa atrás - Bebe pelo menos 4 copos de água por dia - Dá brilho à pele e faz-te sentir melhor ao longo dia.


Estás farta da rotina, e dos mesmos locais? - Toca a explorar - novas cidades, novos museus e perde-te de propósito, quem disse que temos de viajar para conhecer novos locais? Quem sabe não encontras novos hobbies – Um clube de leitura, um bar onde possas aprender a fazer Gin ou até mesmo ser voluntária, desafia o teu cérebro. Já alguma vez perdeste tempo em ver o pôr de sol?

Dar mais atenção à família - Nunca é tarde para passar tempo com a família, aproveitar todos os momentos e fazer novas memórias.


Não te esqueças de ti, tira um dia só para ti – Me Day – Pode não parecer um objectivo mas nós precisamos de nos lembrar que também merecemos mimos. Um dia no Spa, um almoço tardio com as amigas ou um fim-de-semana romântico. Mima-te, está na hora. 

Se és daquelas pessoas que chega ao fim do mês com alguns tostões na carteira, começa o – Plano de poupança – Já tens idade suficiente para perceber que o dinheiro custa a ganhar e é fácil de gastar, começa por pôr de lado 1€ ou 5€ por mês, e toma consciência das tuas compras.


Aprende a andar de bicicleta, aprende a estrelar um ovo, vê um filme que todos já viram e tu não, escreve uma carta para ti para leres daqui a 20 anos, cumprimenta um estranho, ajuda alguém, muda de penteado, doa sangue, combina um café com aquele pessoal, salta do sofá, vê o pôr de sol, sorri diariamente, acorda ao som dos passarinhos, medita, agradece, diz amo-te e obrigado - Escolhe algo simples.