Opinião da Tim - Desemprego, seremos nós muito exigentes?

Desempregada é o meu estatuto actual. Como tantas pessoas em Portugal. Todos os dias envio currículos. Todos os dias ligo o computador na esperança de ter lá um e-mail com uma resposta positiva. Há dias recebi uma resposta.
O emprego não era nada de mais. Clipping ... tudo muito bonito. Horário das 07h às 16h. Hora de almoço. Até aqui tudo perfeito. Ligam novamente a confirmar a entrevista, mas o trabalho passa a ser um estágio de 3 meses. Tudo se mantém. Chega o dia de ir e assinar contrato... e as condições são as seguintes:
 Não há horário de saída, ou seja, fecho o escritório
 Não há contrato, nem recibos, rien de rien
O salário é de 150€ por mês
Trabalho aos fins de semana, folgas nem vê-las
3 meses


Decidi não aceitar. Talvez tenha feito mal, pois pensei nas pessoas que precisam de trabalho e eu rejeitei um. Mas pensei também, nestas empresas que abusam do desespero das pessoas. Não há respeito pelos trabalhadores.

Uma pessoa delira ao ficar em casa. No início parecem ser férias mas depois o dinheiro começa a fazer falta. Uma amiga sempre me disse, quando começares a trabalhar e sentires o sabor do dinheiro não vais querer outra coisa. E não é que é verdade? 
É preciso ponderar bastante antes de aceitar um emprego, seja a full ou part time, mas também é preciso ver, com olhos grandes, tudo o que está no contrato. O mercado de trabalho não é fácil.  

Coisas a reter antes de aceitar um trabalho/ assinar um contrato:
 O ordenado - Trabalhar para aquecer não dá com nada;
 Gostar do trabalho - É preciso saber se gostamos ou não do trabalho, porque trabalhar numa coisa que não gostamos acaba por nos deixar deprimidas e depois é bem pior;
Ambiente - Estás lá para trabalhar e não para fazer bff's. Amigos amigos, trabalho à parte;
Condições de trabalho - Nós trabalhadores temos direitos, mas do tipo só às vezes;
Horários - Falo dos horários mais no sentido de rotações. Por vezes não avisam nas entrevistas e quando chega a altura de assinar o contrato.... oioi mas aqui está outra coisa. Eles existem e são para cumprir, esqueçam não vai acontecer. Há sempre cenas a fazer, mas é preciso ter rédeas, pois nós também temos vida para além do trabalho.


São estas as 5 indicações importantes para mim, mas digam-me se acham que há outras que merecem também a nossa atenção. 

17 comentários:

Chloe disse...

Eu também não aceitava :o

Mafi disse...

Como?! Não havia contracto? Nem recibo?! Fizeste muito bem em não aceitar, isso nem é legal.
Como tu dizes aproveitam-se do desespero das pessoas, é inacreditável. :(

P' disse...

Estou desempregada e na mesma situação que tu também não aceitava. Isso nem era emprego, era escravatura!!! Ias deixar de ter vida por um emprego que nem comida dava para pagares se morasses por conta própria!

Raquel Roque disse...

tive a tirar um curso pelo centro de emprego.. Curso de serviço de andares. Recebia a bolsa (350€) e agora estou em estágio durante 4 meses. È trabalho puxado, mas pelo dinheiro aceitei (425€). Trabalho 6 horas e tenho duas folgas semanais*
Nessas condições q te deram rejeitava tbm...

Pintarolada disse...

Cambada de anormais! Fizeste bem em não aceitar...o problema deste tipo de exploração está, precisamente, no facto de um dia alguém ter começado a aceitar!
Boa sorte, vais ver que vais encontrar! :)

SARA SILVA disse...

por muito que queiras mudar a tua situação, acho que fizeste bem em não aceitar! uma coisa é ter um trabalho não muito bom mas enfim, foi o que se arranjou, outra coisa é ter um trabalho em que nos exploram, como parece ser esse!
força, vais encontrar alguma coisa! :)
beijinhos *

São disse...

Fizeste muito bem... ao que nós chegamos. Beijinhos e boa sorte!!

Sofia disse...

Acho cada vez que as empresas se aproveitam das situações para uma espécie de escravatura. 150€ por mês, sem folgas, com um horário desses e sem contracto não são condições de trabalho... 150€ não dão para nada: não dão para rendas, mal pagam contas... Tenho tanta esperança neste país (noooooooot).


www.asofiaworld.com

estrela disse...

eu arranjei um part-time mas estou a recibos verdes, estive 2 anos em casa e desesperei!!!
já estava por tudo!
mas ainda continuo a enviar curriculos e nada!

Carpe Diem disse...

Fizeste bem em não aceitar. Eu também recusava. Poucos direitos, muitas obrigações, salários baixos. O mercado de trabalho está horrível e é claro que as empresas se aproveitam disso. Não é justo.
Boa sorte para o futuro, espero que possas encontrar outra coisa melhor!
Beijinhos

Carpe Diem disse...

Adorei o teu blogue! Já o sigo! :)
Bjs

Clair de Lune disse...

uma palhaçada... infelizmente a nossa realidade. eu cá vou-me aguentando onde tou mas tou desejosa de saltar dali pa fora para alguma coisa melhor :(

Miguel Gouveia disse...

Ahahah, fala com a marca. Vais sempre a tempo :D

Trabalho sim... Escravatura é que não. A maior parte das entidade patronais faz de nos burrinhos -.-

Get Some Inspiration With My New Post <3
InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

Salvo Rutura de Stock disse...

Não fugi, ainda por aqui ando, só não tenho tempo para bloguear. Mas finalmente o meu teclado tem assentos!
Com tão pouca informação sobre o trabalho, não posso comentar muito, mas... pensa, tecnicamente ias estar a pagar para trabalhar.

Por isso, não te deves importar que eu analise realmente todo o teu post:

(desculpa se isto for demais!)

1º Deves ter SEMPRE contratol, nem que seja a dizer que é a recibos verdes.
2º Menos de 350 euros por mês não é trabalho, é caridade.
3º Tens de ter folgas, está no direito do trabalhador, uma folha espectacular que, por acaso, os empregadores portugueses parecem desconhecer, que tens de ter PELO menos UMA FOLGA por semana!

Agora pela parte da exigência, que muito sinceramente não acho ser exigência assim por assim...

Quando começamos a trabalhar há algumas coisas que vão pelo cano abaixo, infelizmente. Deixa de haver tempo para amigos, namorados, saídas... deixa de haver tempo, mas sempre se arranja uma hora, nem que seja uma por semana. A partir do momento que começas a ganhar dinheiro, isto é, a trabalhar para comer, percebes que loucura não é o limite do desempregado, isto é, quase que se morre de tédio.
Ambiente... Há trabalhos e trabalhos... E, mesmo sabendo que trabalho é trabalho, se fores com os braços abertos, mas com os olhos ainda mais abertos, tenho a certeza que consegues arranjar bons amigos, mas isso é como tudo, tens é de analisar tudo antes de comentares sobre tudo.
Condições de trabalho, ACIMA DE TUDO.
Horários, no princípio de carreira (e desculpa de o assento nessa palavra está errado, não tenho corrector automático), é muito complicado escolher um trabalho pelo seu horário, é imensamente complicado trabalhar por shift, mas por vezes é o melhor quando se começa.
O ordenado, por favor, tu não vás trabalhar só por trabalhar, chamava-te 'parva'!

E para terminar, que já deves estar cheia de tédio.
- Concordo contigo. E fizeste bem não aceitar. Não te podes culpar pela falta de emprego. Não te conheço, mas pareces-me uma rapariga super querida, mas não sejas parva, uma coisa é ser inocente, outra é ser parva. 150 Euros, quanto é que pagas para o passe/carro? Quanto é que pagas para almoçar? Estás a PAGAR PARA TRABALHAR.

Não te sintas culpada, sente-te bem por não teres aceite! Sei que é triste não teres emprego, e teres de estar dependente da tua família, mas melhores dias virão, e tu só tens de levantar a cabeça e lutar.

Força! =)

Paula disse...

Eu defendo que é melhor ter um trabalho mal pago que não ter nenhum.
Mas, não se pode pagar menos que o ordenado mínimo nacional. E se for estágio tem de ter um contrato de estagio.
Bom, quanto a horários são a coisa bonita que puseram na legislação. Ninguém os cumpre. No sentido de ninguém ter horário de sair.
Infelizmente.
Bjs,
Paula

Diário da Chris disse...

Também estou na situação de desempregada e acho que fizeste bem em não aceitar.. As coisas que as empresas fazem só para se aproveitarem do desespero dos desempregados é humilhante..
Temos que lutar para que as coisas mudem e depressa.
Boa sorte nesta luta.. :D
beijinhos*

FME disse...

Boas dicas... acrescentavam também se informarem sobre a progressão na carreira porque passar a vida smepre com as mesmas responsabilidade pode ser muito ingrato.

Quanto a essa do estágio acho que fizes-te bem. Nem toda a gente se pode dar ao luxo de dizer que não (isto sem querer insinuar que tu possas atenção) mas era excelente que as pessoas começassem a recusar esse tipo de codições para ver se as empresas aprendiam que as pessoas não são máquinas e merecem respeito e condições de trabalho dignas.