O sentimento comum a todas


Odeio levantar-me cedo para depois não ter aula.

Regras de ouro para o jornalista

- Abanar a cabeça em rádio, não dá resultado;
- Fazer caretas frente à câmara, JAMAIS!
- Nunca dizer "de volta ao estúdio";
- Temos que nos habituar à nossa voz, pois ela vai estar constantemente no nosso ouvido;
- Antes de um directo, não se fala para a câmara, abana-se a cabeça;
- Não te esqueças do passo de salsa;
- Não se fala mal de ninguém com o micro ligado;
- Os da régie ouvem tudo o que tu dizes, mas tu não os ouves;
Mas jamais em tempo algum, ficar vermelha que nem um tomate, de certeza que haverá mais regras destas.  

Sentimento de hoje



Voilá c'est fini

Mais uma etapa concluída. Estou triste como é normal, mas na verdade estou ansiosa por começar uma nova aventura. Vou ter saudades delas, muitas mesmo. Até Setembro vou ter em mente "Bem, até lá  vou voltar", mentira, não volto... Agradeço muito mas muito aos meus pais, aos meus avós e ao meu irmão, sem eles, de certeza que não tinha terminado o curso.  O apoio foi fundamental. Obrigada a todos e a todas que partilharam este dia que ficará na memória de todos. 

A saga continua...


Continuo isolada e cheia de trabalhos e vocês?
Ah! Mas já escrevi as fitas todas, pelos menos aquelas que já me deram. 

Se estivesse com cabeça, até dava nome a isto


Sinto-me isolada no sótão, tudo por causa dos trabalhos que não param de aumentar. Tenho uma entrevista na terça para fazer e já estou com uma pilha de nervos. Tenho uma dissertação para fazer (dafuck?), tenho pivot's para fazer e decorar para não falar da reportagem radiofónica. Ser jornalista é isto, é ter uma carrada de trabalhos e estar sempre informada (coisa que não consigo,mas a rádio tem sido uma companheira).
AH! Feliz dia da mãe! Todas as mães merecem miminhos, mas não devem ser dados só hoje, mas sim todos os dias.

Se quiseres participar, basta fazer uma pergunta, ou mais. 


Quem chora não merece castigo


Ontem ganhei coragem e fui ao cinema ver o Titanic em 3D . Está lindo, há lá umas partes esquisitas, mas pronto.  Todas nós sabemos que é um filme lindo, lamechas e quase real.  Não sei se foi por ser dia 30 de Abril, ou foi pelo final que o filme tem, mas saí da sala a chorar que nem uma Madalena. Cada vez que vejo o filme, apaixono-me mais pela história de amor, mas depois acordo para a vida real e apercebo-me"pois claro, histórias de amor só no cinema", mas não faz mal nenhum sonhar.