Babysitting


Babysitting – Loucura Fora de Horas 
Classificação IMDB - 6,4 
2014

Sabem o filme a Ressaca? Imaginem em versão para putos.
É o dia do seu aniversário mas o seu patrão dá-lhe uma tarefa, fazer de babysitter. Franck desiste da festa mas os seus amigos inconformados com a ideia decidem levar a festa até ele. O resultado? Vejam o filme. 
E não, este não é aquele tipo de filme onde todas as piadas estão no trailer.



Um senhor entrou na loja a pensar que esta estava vazia e peidou-se.
Não consegui controlar e soltei uma valente gargalhada. 

No próximo sábado


Será que nos podem ajudar a escolher um nome para a nossa equipa?

Tim de Colleen McCullough - Ler faz bem



Classificação:  4 estrelas

Tim
Autor:Colleen McCullough 
ISBN: 9789722529792
Edição ou reimpressão: 03-2016
Editor: Bertrand Editora
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 233 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 272

Tim de Colleen McCullough 
Ele é um jovem com uma incapacidade mental mas com um corpo invejável. Mary é uma solteirona que já se habitou à solidão. Conhecem-se por acaso. Ela dá-lhe trabalho e ele aceita. No meio de tanto convívio acabam por se apaixonar. Os pais de Tim aceitam mas a sua irmã acha que Mary se está a aproveitar da incapacidade do irmão. Estará a sociedade preparada para um romance destes?


A história é simples e a premissa foi bem colocada. A leitura deste livro leva-nos a reflectir sobre um assunto tabu. Será um verdadeiro amor ou um amor por pena? Quero acreditar que seja amor e que ambos sabem o que sentem. 
Apesar de Tim ter um atraso, isso não o impede de amar. Ser doente não significa não ter direito de amar e hoje em dia, estar ou ser doente significa viver sob a pena da sociedade. Eles também têm o direito de ser felizes e de amar e ser amados. 
No fim do livro há uma situação que deixa Mary encavacada, no entanto não a magoa - mas eu fiquei. Como é que há pessoas tão mal intencionadas. Não julguem as pessoas pela aparência ou pela sua incapacidade. Conheçam-nas primeiro antes de julgarem. 

5 provas que mostram que sou a pior blogger de sempre

Sou pessoa para me esquecer ou para fazer tudo de uma vez. Tenho andado a passear e a conhecer coisas mas não tenho relatado nada por aqui, o que mostra o quanto péssima blogger sou. Há dias a Sofia perguntou se poderia participar num post sobre livros. Aceitei. Ela lembrou-me e eu bem tentei não me esquecer. Esqueci-me!!! Escrevi no próprio dia, na loja, enquanto atendia clientes. Bem tento mas o tempo não dá para tudo, ou melhor, dá-me a preguiça.


1. Péssima "relatadora" - Não sei dar opiniões. Podem sempre esperar de mim relatos sinceros e concretos mas nunca muito extensos, quer dizer, se tiver num dia inspirador. Vocês dizem sempre - Oh Tim, eu ligo muito ao que tu escreves - mas sejam lá sinceras, esperam sempre mais, certo?


2. Posso ter posts agendados mas esqueço-me de os publicar - Neste momento tenho cerca de 20 posts escritos mas esqueço-me de os publicar. Ah mas há aquela opção de agendar no blogger - Já tentei usar e planear mas aquilo não publica.



3. Vou a eventos e não tiro fotos - Seja a jantar fora ou a um lançamento de qualquer coisa, não tiro fotos a nada e quando me lembro já me estou a ir embora e ponho-me a pensar - era giro eu partilhar isto com quem me segue. Mas também quem quer saber como foi o lançamento do livro da Dolores Aveiro.



4. Quando estava desempregada era uma coisa - Tinha tempo, tinha ideias. Agora nem ideias nem tempo. Ter ideias, tenho mas pô-las em prática é que é mais difícil.



5. Dou calinadas ortográficas - A menina que defende a arte de escrever bem também dá erros que por vezes me passam ao lado. A pressa, o cansaço ou até mesmo a minha burrice dá nisso. 

Quando vais à casa de banho


e ouves um som vindo do teu lado e quando olhas para o chão, vês uma poça de mijo a vir na tua direcção... #háhomenscommaispontaria

Tão simples
Tão pura
Tão verdadeira 

13 factos enervantes na blogosfera

Numa conversa tardia com a Sofia, começámos a abordar os problemas da blogosfera. Depressa percebemos que a conversa teria pano para mangas. Convidei a Sofia de "A Sofia World" para a minha parceira de crime e escrevemos um post que esperemos que chame a atenção, mas no bom sentido. Queremos saber a vossa opinião, sejam sinceros!!!! 


- Maria vai com as outras - Basta uma ter uma ideia genial que 20 vão logo copiar. Quantos blogues fazem "Favoritos do mês"| "Tags", cada um à sua maneira mas que à partida já sabemos que logo no princípio do mês será um dos posts. O que é de mais, enjoa. A blogosfera está cheia de copy paste. Quando se tem um blogue, o leitor espera criatividade. Se vais copiar a ideia de alguém deixa se ser criativo. Tal acontece quando cria um blogue e te pões a "copiar" posts.

- Parcerias + Parcerias - Uma verdadeira blogger quando começa um blogue é por vontade própria e não para angariar patrocínios. Quantos bloggers não andam por ai para ter coisas de graça. Olhem o que recebi em casa... Tão giro! Ando nesta vida há 10 anos e só comecei a ter parcerias o ano passado. Escrever por gosto não se compra. Uma coisa é implementar publicidade nos artigos - o caso da primetag - outra é impingir aos leitores. 


- O outfit do dia, todos os dias - Quem fala em roupa, fala em comida. Bloggers de moda não é bem a minha cena, mas postar todos os dias roupas diferentes e sempre bem vestidas. Sorry, mas não acredito. Passo a minha folga de pijama ou com roupa velha. Não acredito que vocês se maquilhem todos os dias e postem. Acredito que se vistam e se pintam e depois voltem a vestir a roupa velha. Não me atirem areia para os olhos. Querem uma prova? A Sofia diz o seguinte - este não me faz diferença, porque sei que é mesmo tirar 500 fotos num dia e ir postando enquanto se está em casa de pijama a comer porcarias. – A moça ganha pontos pela sua sinceridade.

- Ter um blog dá dinheiro - Caso não saibam, eu e a Sofia estamos a nadar em dinheiro. Para quem não nos conhece somos a máfia da blogosfera, fazemos tráfico de likes. Caros leitores, lamento mas não dá. O meu blog rende cerca de 1 cêntimo por mês. 12 cêntimos no fim do ano. Que loucura, vou comprar uma carcaça. 


- A frase das redes sociais vira post no blogue - A Sofia disse que se já o viu no twitter e achou piada, acabou ai. Mas não é isso que acontece. O tweet vira post. Um post com uma frase pode ser simples e inovador, mas ver a mesma frase 4 ou 5x perde a graça. Mais: nem tudo o que colocamos nas redes sociais tem de ir para o blog. Convém ter material adaptado a cada rede.

- Não ter tempo | Estou cansada - Escrever isto no blog uma vez por graça, tudo bem, mas repetir uma vez por mês. Oh honey, estás a abusar da paciência dos leitores. Queres ter um prémio por teres vida? No one cares! Há bloggers que se matam a trabalhar e não vêem para o blog a queixar-se da vida que levam. Isso e pedir desculpa por andarem ausentes por andarem com muito para fazer. Ninguém tem de pedir desculpa por ter vida, por fazer coisas.


- O que gostavam de ver por aqui - Então o blog é teu ou dos leitores? O trabalho é teu não é dos outros. Façam o favor de vir cá a casa fazer-me o trabalho e depois comentem em baixo, pode ser? 
Uma vez de vez em quando, tudo bem, é tipo estudo de mercado. Mas se estiverem sempre a perguntar o que gostavam de ver parece que não sabem ter ideias sozinhos.

- Mentalidades fechadas - Todos concordam com todos. Vocês não têm opinião? Se calhar têm preguiça de escrever o comentário. Se é para dizer concordo, mais vale estarem quietos. Aprendam a dar valor à vossa voz. 


- Bipolaridade blogueira - Com a bipolaridade não se brinca mas há pessoal que abusa. Se estás triste e vais pôr no blogue vais acabar por contar o que se passa mas se no dia a seguir dizes que estás super feliz então para que foi aquilo? 

- Posts sub-desenvolvidos – há blogs em que parece que a pessoa que o escreve tem medo de se expressar. Ninguém quer ler algo e ficar com a ideia de que aquela pessoa podia ter dito muito mais do que aqueles dois ou três paragrafozinhos.

- O espírito de equipa… e a falta dele – há uns anos, os blogs gostavam de ir partilhando um ou outro post de outros blogs, quando estavam bons ou achavam o conteúdo relevante. Agora parece que dar espaço a outro blog no nosso blog ou nas redes sociais é contraproducente. E não devia ser. Tal como não devia ser um problema escrever um post baseado no post de outro blog e, no final, incluir um link para o post original. Dizemos que a blogosfera é uma boa forma de partilhar coisas mas quando se trata de partilhar coisas boas de outras pessoas a história muda. (não precisam de partilhar este post só para se sentirem melhor, nós perdoamos!)


- Posts cheios de nada – Porquê, oh porquê? Por que insistem em fazer posts só para encher? Continuo a achar preferível um blog que fique uns dias sem publicar a um blog que vá colocar um post da treta (sem conteúdo, diga-se) só para encher. Isto é um blog, não é um teste de Filosofia onde o importante é meter palha. Vamos lá acalmar, ok? Ok!

- Comentários com muitos links e poucas palavras – Ora bem, quem é que gosta de receber comentários? E quem é que gosta de receber comentários em que a quantidade de links para o blog, posts e redes sociais do comentador ocupa mais espaço do que o comentário propriamente dito? POIS!

Quando vais no autocarro


e te sentas ao lado de uma senhora de idade e esta está a ler um artigo com o seguinte título "Serão os vibradores perigosos?". 

O meu pé de laranja lima - Ler faz bem

Classificação: 3 estrelas 

Autor: José Mauro de Vasconcelos
Colecção: Obras de José Mauro de Vasconcelos
ISBN 9789898491886
Edição actual: 13ª
Páginas: 208
Apresentação: Capa mole
Dimensões: 130 x 198 x 16 mm
Idade: 12+


O meu pé de laranja lima de José Mauro de Vasconcelos 
Zezé é uma criança sonhadora e irrequieta. Os pais não lhe dão atenção nenhuma e os irmãos por vezes dão-lhe cabo da cabeça. Apesar da pobreza extrema, Zezé não se deixa abater e sonha ser rico, mas até lá usa a sua imaginação. 


Sinopse da Booksmile

Lembram-se de vos ter dito que encontrei livros no papelão? Este foi um desses livros. 
O meu irmão leu-o, pois o livro faz parte do Plano Nacional de Leitura e acabou por gostar e eu fui atrás dele e li também. 
A história é simples. Zezé é um menino que usa a imaginação para ultrapassar a sua pobreza. É uma criança irrequieta o que lhe traz alguns problemas. Quando ele começa a ganhar juízo, uma tragédia dá-se. 
Fui para esta leitura com as minhas expectativas muito altas e desiludi-me, pois achei uma história fraca, a personagem do Zezé enervou-me ao ponto de querer desistir do livro. 

Estás aflita para ir fazer xixi e...



Encontras uma raspadinha com dinheiro na casa de banho....

A Tim tem Insta - Março|Abril


1. A nossa biblioteca
2. A minha indumentária 
3. As minhas leituras


1. Os meus tênis 
2. O meu cabelo
3. A minha indumentária
4. A minha tromba


1. O meu ídolo